Indiespensáveis

Impensável não falar deles

Análise: Bubble Bobble 4 Friends (Switch) é a volta de um clássico

Taito nos lembra o clássico jogo dos dinossaurinhos que arremessam bolas coloridas para o alto. Mas sua origem é diferente, baseia-se em um arcade de 1986, em que os jogadores controlam os dinossaurinhos em uma jogabilidade de plataforma e ação. Então, em 2020, saiu a sequência desse clássico, e é sobre ele que falarei aqui.

Nem ao menos uma desculpa

Bubble Bobble 4 Friends chamou minha atenção devido a sua simplicidade. E de fato, o jogo eleva a simplicidade a enésima potência. Mas, jogando um pouco, percebi que não faço parte do público alvo. O jogo quer alcançar crianças de, talvez, uns 5 a 9 anos, e isso se torna claro em seus primeiros instantes. Um dos motivos para isso é a ausência de história ou de algo a ser contado.

Não há nem uma desculpa, como a versão de 1986 fez, que era simplesmente salvar uma princesa. A pequena cena no começo não indica absolutamente nada, parece totalmente aleatória. Mas tudo bem, o jogo não vende uma história, sua premissa é somente o retorno de um clássico.

Logo após a cena o jogo começa, sem nenhum texto escrito e nem nada informando o que está acontecendo. Bem como os jogos antigos, o mérito estava na jogabilidade e não na história. Sua simplicidade na possível narrativa demonstra que o jogo quer alcançar crianças e, no máximo, os pais que jogaram a versão mais antiga que querem mostrar um pedaço de sua infância aos filhos. E, sem mais, o jogo está disponível para ser jogado.

Jogabilidade

Em um primeiro momento, é possível perceber que a jogabilidade de Bubble Bobble 4 Friends é  simples. São apenas três botões de ação, sendo que um deles é um poder especial raramente usado. Basicamente, os dinossaurinhos pulam e soltam bolhas, bolhas essas capazes de prender os inimigos dentro delas, e eles são derrotados assim que a bolha estoura. Para estourá-la, é necessário somente furá-las com os espinhos que os dinossaurinhos têm ou pular sobre elas segurando o direcional para baixo. Também é possível fazer um combo estourando várias bolhas ao mesmo tempo, desde que estejam encostadas.

Extremamente simples e agradável, o primeiro e o segundo mundo são fáceis. Mas, a partir do terceiro mundo, a dificuldade aumenta drasticamente, sendo necessário pulos precisos, um maior cuidado com os projéteis, maior quantidade de inimigos e chefes extremamente difíceis. Às vezes, nem os jogadores mais habilidosos conseguem passar um chefe sem vários gameover.

Por se tratar de um jogo infantil, a dificuldade pode frustrar as crianças. Mas há uma ótima acessibilidade: depois de morrer algumas vezes, o jogo libera uma opção de invulnerabilidade. Isso é uma ajuda e tanto, pois tem uns chefes que são realmente difíceis.  A acessibilidade é um ótimo ponto positivo, mas a alta dificuldade com o passar das fases pode ser um impedimento para alguns jogadores.

 

Arte

Visual

Bubble Bobble 4 Friends é uma graça! Seu desenho cartunesco somado aos traços dos dinossaurinhos são muito bonitos, realmente fofos. A primeira impressão é extremamente agradável e algumas fases enchem os olhos. Os efeitos visuais também são bons, quando as bolhas explodem e as criaturinhas morrem, suas caricaturas são engraçadas. Um show de cores, perfeito para chamar a atenção das crianças.

Trilha sonora

Aqui, diferente do ponto acima, eu digo que é um dos aspectos em que o jogo peca. Não há um tratamento maior do áudio e a quantidade de músicas é baixa. O som chama mais a atenção das crianças, em um primeiro momento, do que o visual, então os desenvolvedores deveriam pensar um pouco mais nesses aspectos e colocar músicas simples, com um loop longo mas agradável, bem como aumentar sua quantidade. Quanto aos efeitos sonoros, são competentes, somam ao design fofo do jogo, mas também pecam por serem poucos.

Veredito

Bubble Bobble 4 Friends agrada, mas, infelizmente, enjoa. Por não ter uma história ou algo maior para motivar, a carga do replay fica toda em cima da jogabilidade, que não agrada o suficiente para isso. Ele é ótimo para crianças pequenas, mas a motivação para jogar deve surgir dos pais para um momento pais e filhos. No entanto, vale a pena lembrar que ainda em 2020 todos os jogadores receberão uma DLC gratuita!

Por fim, recomendo este game para jogadores que gostavam do clássico de 1968 e para quem quer jogar com os filhos. Somente para esses casos.

Mas e você? Jogou o clássico? Tem uma opinião diferente? Deixe nos comentários.

Análise feita com cópia digital cedida pela Taito