Análise: Mother Russia Bleeds (PS4) – Visceral, divertido e nostálgico!

Vou contar um pouco de como encontrei Mother Russia Bleeds: tudo começou quando em Janeiro de 2018 finalmente comprei minha Playstation 4. Antigo usuário de um Xbox One, eu decidira trocar de console, dentre outros motivos por eu ser o único que conhecia que tinha tal console. A maioria dos meus amigos tinha comprado um PS4, e eu não conseguia pegar jogos emprestados com ninguém. Feita a troca e realizada a compra, entrei na PSN para comprar algum jogo e iniciar a jogatina. Tinha que ser barato porque a grana era curta no momento. Passando pelo catálogo deparei com Mother Russia Bleeds, cujo nome me chamou a atenção. Olhei as screens relacionadas e vi que se tratava de um Beat ‘em up. Fã e órfão de franquias como Streets of Rage, Final Fight, Golden Axe e Tartarugas Ninja que sou, comprei o game na mesma hora. Bendita escolha!

Produção da Le Cartel Studios e lançado originalmente para PC em Setembro de 2016, Mother Russia Bleeds é uma bela homenagem aos jogos de pancadaria em plataforma que reinaram nos anos 90. Traremos nesta análise alguns dos aspectos que nos saltaram aos olhos, mostrando ao leitor que vale a pena incluir esse game em sua biblioteca.

Mother Russia Bleeds screenshot

Introdução

Começando o modo de história, somos apresentados aos quatro personagens principais do game, dos quais devemos escolher um: Sergei, Ivan, Natasha e Boris. Cada personagem possui atributos específicos, sendo Sergei e Boris os mais equilibrados, ao passo que Natasha é a mais rápida e Ivan o mais forte. Escolhidos os personagens (esse game pode ser jogado por até quatro pessoas simultaneamente), define-se também o nível de dificuldade (easy, normal ou hardcore) e se fogo amigo causará danos ou não, além de podermos escolher se partimos para a pancadaria na primeira fase ou se iremos ao tutorial. O tutorial é bem básico, e de certa forma até se encaixa bem na história: você está no acampamento da Ruska Roma, um grupo de ciganos que lutam contra uma força mafiosa opressora – a Bratva. Neste acampamento acontecem rinhas, e por algumas garrafas de vodka alguns membros toparam participar/apanhar no tutorial. Porrada vem, porrada vai, o acampamento é surpreendido por policiais e você apaga.

Mother Russia Bleeds screenshot

Após alguns flashes onde um cara com roupa anti-contaminação te aplica algumas injeções, você acorda, sem entender nada. Ao tentar sair, seguranças, cientistas e tudo o mais tentam lhe impedir. No meio desse caos todo, você descobre que as injeções podem tanto recuperar seu HP quanto causar um modo frenesi. Claro que esse poder é limitado, mas as doses podem ser recarregadas em corpos que estiverem convulsionando antes de morrer. Ao sair do laboratório – que está abaixo de uma prisão – e voltar ao seu acampamento, você descobre que há uma nova droga na área. Chamada Nekro, essa droga deixou todos viciados. Como o acampamento fora destruído, seus companheiro foram mortos e os que sobraram ficaram viciados, hora da vingança. Convenhamos: para um beat ‘em up, a história é profunda demais até.

Mother Russia Bleeds screenshot
Você com um taco de beisebol do lado do carro do mané atrás da grade, e ele acha uma boa ideia mexer contigo…

Gameplay

Os comandos do Mother Russia Bleeds são razoavelmente simples: botões de soco, chute, pulo e agarrão. Combinações podem ser criadas, como a clássica voadora, ou mesmo uma rasteira (dois toques no direcional para a direção desejada + botão de chute). Além de bater com mãos e pés, o jogador pode pegar armas e objetos espalhados no cenário. Aqui cabe uma primeira nota positiva em relação às armas, uma vez que elas realmente matam de primeira. Se você pegar uma faca e der uma facada em um inimigo, ele vai cair morto no chão. Se for um revolver, pistola ou metralhadora, você matará os inimigos com um tiro. O jogo é visceral, então se prepare para ver tripas pelo chão, arrancar cabeças, serrar os adversários com uma serra elétrica ou mesmo bater até o inimigo estar totalmente ensanguentado, alguns inclusive convulsionando antes de morrer (hora de encher a seringa rs) . Tão pesados quanto as agressões, os diálogos do game também não são para crianças. Houve um capricho em relação à tradução do game para o Português Brasileiro, considerando gírias e abreviações da fala.

Mother Russia Bleeds screenshot
Dica: a única coisa que faz a gordona sair do lugar é bater nela com uma arma.

Os chefes de fase também são complexos de se enfrentar. Com cada um deles o jogador deverá analisar o local onde está e bolar uma estratégia para vencê-los, ao invés de sair batendo sem parar. O jogo jogado na dificuldade normal será difícil em alguns momentos, ao contrário dos antigos games que conhecemos. Por falar neles, é bacana perceber que desde os gráficos de MRB pixelados até sua trilha sonora em uma pegada Techno underground remetem às franquias antigas. Há até um modo nas opções que simula o game em uma TV CRT antiga (a saudosa TV tubão)

Mother Russia Bleeds screenshot

Veredito

Nostalgia…ok. Violência…ok. Originalidade…ok. Diversão…ok.

O game ideal para você, amigo leitor, que pega seu emulador para matar as saudades de um bom Captain Commando, Double Dragon, ou outro daqueles side-scrollings antigos. Simples, caprichado, sem muita enrolação, em Mother Russia Bleeds é só chegar e bater. Enquanto Streets of Rage 4 não chega, considere fazer um bom “esquenta” com esse game. Embora o preço não esteja muito convidativo hoje (R$ 62,50 na PSN Brasileira), hora ou outra ele aparece com desconto. Valerá a pena esperar!