Os Indies na Brasil Game Show 2019

Como de costume, a edição de 2019 da Brasil Game Show foi um sucesso. Mesmo sendo focada em grandes lançamentos e consoles das principais empresas da indústria, o evento também contou com seus espaços para os jogos que tanto amamos. Novas produções independentes brasileiras abrilhantaram ainda mais a maior feira de Games da América Latina.

Indo de um Multiplayer Bullet Hell até uma narrativa emocionante com desafios de puzzles, foi possível testar diferentes jogos na já conhecida Avenida Indie. Até Hidetaka Miyazaki, criador de Dark Souls e Bloodborne e atualmente Presidente da From Software, visitou o local e conversou com desenvolvedores brasileiros. Confira os jogos da Avenida Indie que mais nos chamaram a atenção:

Out of Space

Aparecendo pela primeira vez na edição de 2018, o novo jogo da Behold marcou presença novamente na BGS. Out of Space pode ser resumido basicamente como um “Overcooked no espaço”, em que é preciso se organizar com os amigos, local ou online, para manter o controle da sua nave espacial.

Ainda em Early Access, o jogo apresenta problemas que aparecem normalmente durante um desenvolvimento e outros ajustes que necessitam de uma atenção da equipe. Comparando com títulos parecidos, Out of Space é mais cadenciado, perdendo um pouco daquela urgência e desespero. O jogo faz algumas escolhas que atrapalham o ritmo de um multiplayer, como ter que soltar um item para interagir com uma porta, por exemplo.

Ainda assim, há bastante potencial em Out of Space. Um visual original e atraente com uma ideia desafiadora, tudo isso com um estúdio gabaritado por trás do desenvolvimento e uma comunidade envolvida nas melhorias que devem vir.

Out of Space está disponível, em acesso antecipado, no Steam por R$ 26,89. Ainda não previsão para o lançamento oficial ou confirmação para a chegada em consoles.

Apostasy

Inspirado na exploração de Castlevania e na dificuldade de Dark Souls, Apostasy foi uma das agradáveis surpresas da feira. O jogo de estréia da Noustroid Game Studio pareceu estar em estado final de desenvolvimento, com uma movimentação fluida e um combate bastante preciso.

Outro fator que chamou a atenção é a premissa da história, que é contada em um universo criado do zero. O protagonista, Aleck Loshdwing, é descendente de uma raça antiga e desconhecida, por isso ele parte em uma aventura para descobrir quem ele é e da onde vem.

Segundo Luan Inácio, criador do jogo, a intenção é que Apostasy chegue para todas as plataformas, porém ainda não há uma previsão de lançamento. Acessando o site do jogo, é possível se inscrever para receber uma futura demo.

Psikodelya

Sabe aquele jogo que chama a atenção mesmo de muito longe? Psikodelya é um deles. Com cores fortes e um visual original, o primeiro jogo da Infinity Green é uma louca viagem introspectiva. A primeira tela branca e vazia oferece apenas uma interação: um cogumelo.

Quanto mais você come, mais cores e elementos são adicionados ao seu gameplay. Toda essa parte serve como um tutorial e uma forma de se acostumar com o visual arrojado do jogo.

A história começa mesmo em uma área no estilo sandbox. O objetivo é conseguir ativar um portal para a próxima fase, explorando o local para encontrar os componentes necessários. Nessa busca, é revelado um pouco mais desse mundo misterioso, sempre te surpreendendo com visuais alucinantes. O que mais chama a atenção nesse “mini Walking Simulator” é sua originalidade.

Pensando no possível incômodo que o visual possa causar nos jogadores, os desenvolvedores realizaram pesquisas e testes antes do lançamento. Também há avisos para pessoas sensíveis à cores fortes.

Psikodelya já está disponível na Steam por RS 28,99 e conta com uma história com cerca de 4h de gameplay. Ainda não há a intenção de lançamento para outros consoles.

The Path of Calydra

Um dos melhores jogos da Avenida Indie – quiçá do evento. The Path of Calydra está sendo desenvolvido pela Final Boss, que, apesar dos 14 anos de estrada, está fazendo sua estréia na cena independente.

O jogo conta a história de Matheus (sim, um protagonista com um nome popular no Brasil) e sua mochila (???). Sempre cabisbaixo por sofrer bullying na escola, o garoto escapa do mundo real quando Calydra se apossa de sua mochila. A partir daí, podendo transitar entre os dois mundos, começa a aventura de Matheus e Calydra.

Não é só a história que parece ambiciosa em The Path of Calydra. O visual já mostra o quão avançado o jogo está em aspectos técnicos, lembrando um pouco os jogos da franquia Ni No Kuni. A jogabilidade também parece fluida, não foram vistos grandes problemas mesmo com a perspectiva em terceira pessoa, que costuma apresentar bugs de câmera.

Devido ao seu escopo, é cabível até uma discussão de “quão indie” The Path of Calydra é, o que não tira o seu mérito. O jogo está em desenvolvimento há 3 anos e 60% concluído; um dos maiores fatores para o avanço do projeto foi o investimento através do Edital da Ancine em 2018.

The Path of Calydra deve chegar para Steam, Xbox One e PS4 até o final de 2020. A equipe não descarta um versão para Nintendo Switch.

Eternal Hope

Uma das melhores coisas da Avenida Indie é descobrir os jogos que aparecem por lá. Os títulos AAA já são conhecidos e não despertam tanta surpresa no jogador, ao contrário da área de jogos independentes. Mesmo “disputando espaço” com grandes lançamentos, não seria absurdo colocar Eternal Hope como o melhor jogo da Brasil Game Show 2019.

Desenvolvido pelo estúdio curitibano Double Hit Games, Eternal Hope é inspirado na jogabilidade de Limbo, mas conta com um visual muito mais colorido. Experimentando a demo disponível na BGS, ficou claro que o jogo está em fase final de produção, sem contar o impacto que o começo do jogo trouxe, deixando o jogador querendo mais.

O protagonista do jogo, nomeado apenas como “um garoto”, passou muito sem encontrar ninguém, até que conhece uma garota pela qual se apaixona. Devido a uma tragédia, a garota morre e o clima de tristeza toma conta da narrativa. A demo termina no momento em que você conhece uma criatura que promete trazer a pessoa amada de volta.

Mesmo sendo um clichê, Eternal Hope consegue contar uma história emocionante só nesses primeiros minutos de gameplay. 

Eternal Hope entrará em financiamento coletivo, através da plataforma Indiegogo, no próximo dia 22 de outubro. Também é possível apoiar o jogo pelo Patreon.


E você? O que achou da Avenida Indie nessa edição da BGS? Comenta aí!